Pular para o conteúdo principal

Arredores

Arredores é um projeto voltado para a difusão da prática do Trekking a partir de Belo Horizonte; onde estamos baseados. Parte da premissa que, o conhecimento, a prática e o gosto pela caminhada no meio natural tem início pelos arredores que nos cercam.

Uma primeira edição do Projeto ocorreu entre 2012-2013, quando visitamos e mapeamos as principais trilhas existentes nos arredores da Capital; atingindo até aproximadamente 100 km além da Região Metropolitana; em especial no sentido Norte; cuja região desperta maior interesse e oferece maior número de atrativos naturais.

Projeto Arredores:
Basicamente o Projeto Arredores consiste em percorrer trilhas de curta e média distância, entre ida e volta; seja visitando algum atrativo natural específico; ou ligando distintos pontos de interesse. A proposta é elaborada de modo a permitir a realização em apenas 1 dia; inclusos deslocamentos de ida e regresso à Capital. Todo o processo antes-durante-após a atividade é acompanhado visando ampliar o conhecimento do participante sobre a prática do Trekking.

Responsável:
Francisco Cardoso - Autor do Blog Chico Trekking

Público Alvo:
Oportunidade para iniciantes e novos entrantes na prática de Trekking; ou mesmo aqueles que, por alguma razão, não possam realizar Trekking de longa distância; que naturalmente requer pernoite.

Benefícios:
Além daqueles já amplamente conhecidos resultantes da prática de caminhadas, que são a melhoria do bem estar físico e mental; participar do Projeto Arredores possibilitará adquirir conhecimentos básicos de orientação, navegação e de Boas Práticas junto à natureza; de modo a permitir que no futuro, se desejar, o participante possa planejar e realizar com êxito caminhadas de curta ou longa distância de modo independente.
Todos os participantes do Projeto receberão o E-Book Primeiros Passos, que aborda o Montanhismo e a sua principal modalidade, o Trekking. Em linguajar simples o E-Book apresenta conceitos, um pouco de história, e razões para praticar caminhadas; sem deixar de lado aspectos como segurança, alimentação, equipamentos e materiais necessários para  prática.

Abordagem:
Simples, direta e prática; durante a atividade. O meio natural é o melhor e mais adequado campo escola para quem deseja e gosta de caminhar. Durante as atividades os principais aspectos relacionados à caminhada serão abordados; como equipamentos, materiais, segurança, comportamento, orientação e conservação.  

Requisitos básicos para participação: 
Boa saúde física e mental; gosto e respeito pela natureza; disposição em caminhar no meio natural.

Custo:
A participação é gratuita; exceto o custeio referentes à eventuais e necessários deslocamentos efetuados por terceiros ou transporte público; ou ainda eventuais taxas de ingresso em algum atrativo.

Vagas Disponíveis:
Em conformidade com as Boas Práticas no meio natural, as vagas são limitadas e os grupos reduzidos. Isto porque a presença de grande número de pessoas por atividade normalmente causa grande impacto ao meio natural; e quase sempre não resulta em ampliação de conhecimento acerca da prática do Trekking; pelo contrário; na maioria das vezes disseminam práticas inadequadas.

Como participar:
O Projeto Arredores é aberto a qualquer interessado; que poderá participar de quantas atividades desejar. Para participar basta entrar em contato solicitando informações detalhadas através do e-mail chicotrekking@gmail.com ou através do Whatsapp 31 99304-1915.



Calendário das Atividades do Projeto Arredores - 2017
(Sujeito à modificações)

12 de Agosto: Cachoeira de Congonhas (realizada)
26 de Agosto: Lapinha da Serra  (adiada - data a definir)
16 de Setembro: BH a Nova Lima
23 de Setembro: ParnaCipó
(Em breve as atividades propostas para out/nov/dez 2017)


Mais Trekking Pra Você...

Alimentação: o que levar para as trilhas

A alimentação em trilhas é um aspecto que preocupa a muitos, especialmente os iniciantes na prática de hiking ou trekking. E é uma preocupação pertinente, pois naturalmente ninguém quer passar fome enquanto se caminha; em especial se estiver em ambientes mais distantes e isolados.

Além disso, somos resultados do que comemos, já diz a velha máxima! Entretanto, a preocupação e dúvida sobre o que levar muitas vezes faz com que o caminhante se abasteça de alimentos nem sempre adequados a uma aventura; ou ainda, exagere na sua quantidade; comprometendo seriamente o êxito de uma aventura!
O pulo do gato para minimizar possíveis problemas é não fugir abruptamente do seu hábito alimentar cotidiano, que suponho, seja saudável. Normalmente, nosso organismo já é adaptado aos alimentos que costumeiramente ingerimos, de modo que, mantendo os hábitos, dificilmente teremos complicações.

Igualmente não se preocupe em abarrotar sua mochila com grandes quantidades de alimentos. Quando caminhamos, norm…

Ponta da Joatinga: a Travessia que une paixões!

Localizada no município de Parati, litoral Sul do Estado do Rio de Janeiro, a Ponta da Juatinga é uma península conhecida pela sua expressiva beleza natural. Região habitada pelos descendentes Caiçaras, caracteriza-se por vegetação de mata atlântica, relevo acidentado e clima quente e úmido; além de inúmeras praias em sua maioria desertas. A importância e beleza da região são tão expressivas que a península está protegida pela Área de Proteção Ambiental do Cairuçu e a pela Reserva Ecológica da Juatinga, limitando-se com áreas do Parque Nacional da Serra da Bocaina...
Atualização Fev 2016 Rota realizada e disponibilizada no Wikiloc Além de possibilitar estudar e visualizar a região, você poderá baixar este tracklog (necessário se cadastrar no Wikiloc); e inclusive utilizá-lo no seu GPS ou smartphone (necessário instalar aplicativo). Recomendamos que utilize esta rota como fonte complementar dos seus estudos. Procure sempre levar consigo croquis, mapas, bússola e outras anotações que poss…

Navegação Manual: Conhecendo a Carta Topográfica - Parte 2/2

Para nós aventureiros, até poucos anos atrás, a Bússola e a Carta Topográfica eram praticamente as únicas fontes seguras de navegação por áreas desconhecidas. Aliás, a dupla Bússola e Carta Topográfica foram e continuam sendo inseparáveis. Entretanto, com o advento e popularização do GPS, ambas tornaram-se pouco usuais, principalmente pelos aventureiros mais novatos.

Na postagem anterior conhecemos um pouco da Bússola, bem como os graus e cálculos de azimutes, que permitem uma navegação sem mapa por curtas distâncias. Nesta postagem, a segunda e última da série sobre Navegação Manual, abordaremos a Carta Topográfica, pois juntamente com a Bússola formam um casal perfeito. Veremos também como efetuar alguns cálculos utilizando informações da própria Carta Topográfica; que permitirão utilizar a Bússola auxiliados pela Carta Topográfica.
Esta é a segunda postagem da série de duas em que procurarei oferecer uma noção básica sobre o modelo de Navegação Manual com Carta Topográfica e Bússol…

Ponta da Joatinga e Cachoeira do Saco Bravo: impossível não se apaixonar...

Localizada no município de Paraty, litoral sul do Rio de Janeiro a Ponta da Juatinga é repleta de encantos. Mata atlântica exuberante, praias desertas e paradisíacas e nativos expressivos sempre com uma boa história pra contar. Sem estradas, caminhos e trilhas são testemunhas do vai e vem de alguns moradores e em especial de caminhantes.

Tornou-se ao longo do tempo uma rota clássica para o Montanhismo Brasileiro, em especial àqueles que gostam de caminhadas à beira mar... É daqueles lugares que fisgam o coração do aventureiro, e com razão é uma região pra se ir mil vezes...
Atendendo à essa conquista sentimental, na semana santa de 2015 retornamos ao lugar. Fizemos a rota tradicional, com início na Praia do Pouso da Cajaíba e término em Laranjeiras. Porém dessa vez, não fizemos à pé o trecho Martin de Sá a Ponta Negra; optamos por barcos; e com isto ganhando tempo para visitar a Cachoeira do Saco Bravo sem correrias, um dos pontos inusitados e mais espetaculares da famosa Juatinga...…

Pedra Grande em Igarapé: beleza e resistência!

Diferentemente do agito do carnaval de 2012, esse ano de 2013 decidi que era tempo para o sossego. Por outras circunstâncias também não programei trilha nenhuma. Mas depois de três dias em casa comecei a ficar incomodado... Recebi um convite pra dar um pulo em Ipoema, masjá saído de casa a coisa mudou...

Assim decidi no estalo que iria à Pedra Grande, na cidade de Igarapé, um lugar próximo à Belo Horizonte que há muito não visitava! Localizada na divisa dos municípios de Igarapé e Itatiaiuçu, a Pedra Grande é o ponto culminante dos municípios, com aproximadamente 1.400m de altitude. Do seu cume é possível ver grande parte da Região Metropolitana de Belo Horizonte...
► Leia também nosso relato de outra visita à Pedra Grande pela Rota Sul
A pequena cidade de Igarapé está situada às margens da BR 381, sentido Sul (para São Paulo), distante aproximadamente 60 km de Belo Horizonte.  A Pedra Grande fica logo após a cidade, no alto da Serra de Igarapé. Além de permitir ascensão ao seu cume,…