Você acredita na previsão do tempo?

Na tela do celular parece um joguinho qualquer...



A Previsão do Tempo é um fator inseparável e decisivo na prática do Montanhismo. Isto é natural porque o Montanhismo é praticado em ambiente de montanha. Se partimos para uma missão logo corremos atrás das previsões em busca de uma luz. Porém uma pergunta sempre nos atormenta: É possível confiar nestas previsões?

Esta pergunta comum desperta reações, muitas até engraçadas. Não são raras as vezes em que ouvimos que fulano foi a tal lugar e a previsão não se confirmou. Ou ainda, alguém é taxado de mole, desanimado, "precavido demais" (ops! Não se deve escrever palavrão aqui!) quando adia ou desiste de uma atividade em decorrência de uma previsão desfavorável.

Já o inverso é igualmente fato! Aqueles que mesmo sob previsões desfavoráveis deixam suas casas e por sua conta e risco partem a uma empreitada são taxados de "brutos" brutões, corajosos, guerreiros, maiorais etc. Mesmo que porventura em suas atividades por pouco não tenham rolado numa enchente; ou levado um raio na cabeça; ou ainda ter dado voltas e mais voltas porque fora obrigado a desviar rotas...

Alheios a essas atitudes menores, e em tempos tão polêmicos, o que importa é o crédito que damos à ciência. Sim, caro leitor, a Meteorologia é uma ciência. Porventura não estaríamos sendo seletivos à medida em que acreditamos apenas "naquela ciência" a nós convenientes?

Talvez parte desse comportamento seja herança de uma época em que de fato as previsões do tempo eram baseadas quase totalmente em dados históricos; e o acesso à tecnologia além de primária, era escassa. Isto resultava em previsões pouco confiáveis; e quase sempre com elevada margem de erro; mesmo que para curtos períodos.

Mas o panorama evoluiu muito rapidamente nos últimos tempos. Hoje centenas de estudiosos, equipamentos, radares, satélites e afins coletam e tratam dados em segundos, fornecendo previsões muito seguras; inclusive para períodos alongados. De fato ainda não se chegou ao ponto de zerar eventuais equívocos. Talvez por isso a razão de se ainda empregar a palavra "previsão".

Fato é que nós Montanhistas precisamos acompanhar essa evolução. Isto não significa apenas ler aquelas previsões rápidas disponíveis na tela do smartphone; mas sim aprofundar em dados mais específicos. Precisamos estudar sobre o quadro geográfico, correntes, ventos, sistemas, massas de ar... enfim, uma série de fatores que definem uma previsão do tempo. Entendida essa parte, cabe refinar o estudo, centralizando numa área de interesse.

Os Institutos já fornecem previsões bem completas, com muitos desses dados já tratados. Então, sem necessidade de nos tornar "cientistas do tempo", basta-nos um pouco de boa vontade para conjugar os dados e assim concluirmos se a previsão do tempo em dado lugar será adequada para a atividade que ali se pretende realizar. Além disso, as previsões irão orientar inclusive sobre quais equipamentos e materiais deverão ser levados para determinada missão.

Mas fiquemos atentos: Previsão adequada não significa céu de brigadeiro! Longe disso! Previsão adequada é aquela que não irá prejudicar consideravelmente o desenrolar de uma atividade proposta. Na prática isto significa por exemplo, que se iremos para uma área em que não há cruzada de curso d'água significativo, uma chuva poderá não ser problema! Ou se destinamos a uma empreitada alongada por uma área aberta e com pouca disponibilidade de água; dias seguidos de sol e calor intensos podem não ser adequados!

Por isso meus caros, esqueçamos as taxações simplórias e pouco inteligentes! Precisamos sim é estudar e tratar a Meteorologia como deve ser: uma ciência confiável! Acredite, isto é mais que verdade: É necessário!

Bons ventos!

إرسال تعليق

Gostou? Deixe seu comentário, pergunta ou sugestão (0)

أحدث أقدم