Pular para o conteúdo principal

Lavras Novas a Chapada: história e beleza nas trilhas de Ouro Preto

Serra da Chapada ao fundo... e cães guia...
A região da cidade histórica de Ouro Preto, localizada ao centro do Estado de Minas Gerais é rica em belas paisagens naturais e inúmeras trilhas, muitas delas centenárias, que ligam cidades, distritos e bucólicos arraiais entre si. Por ali circulou grande parte da riqueza mineral do País no século XVIII, fazendo com que surgissem muitos povoados e vilas.

Alguns desses vilarejos tornaram-se famosos e conhecidos no Brasil inteiro a partir dos anos 80, atraindo novos moradores e visitantes frequentes, graças à implantação de uma infraestrutura turística, como pousadas e restaurantes. Outros ainda mantém o ritmo pacato, com poucos moradores e um modo de vida que passa aos poucos. Para vivenciar esses dois lados, fui convidado a conduzir um grupo de caminhantes de Belo Horizonte no dia 11 de janeiro p.p. em um trekking ligando Lavras Novas à Chapada, ambas localidades pertencentes à cidade de Ouro Preto.

Rota realizada e disponibilizada no Wikiloc
Além de possibilitar estudar e visualizar a região, você poderá baixar este tracklog (necessário se cadastrar no Wikiloc); e inclusive utilizá-lo no seu GPS ou smartphone (necessário instalar aplicativo). Recomendamos que utilize esta rota como fonte complementar dos seus estudos. Procure sempre levar consigo croquis, mapas, bússola e outras anotações que possibilitem uma aventura mais segura.
Quanto melhor for o seu planejamento, melhor será o seu aproveitamento.
Pratique a atividade aplicando os Princípios de Mínimo Impacto

Powered by Wikiloc

O trajeto da caminhada planejada saía do Distrito de Lavras Novas, passava pelos Pocinhos; topo e mirante da Cachoeira do Rapel e direcionava para o arraial da Chapada. Da Chapada iríamos à Cachoeira do Castelinho; e novamente voltaríamos à Chapada, perfazendo um total aproximado de 10 km. Assim, naquele sábado deixamos BH às 7h00 da manhã; fizemos uma parada para café em um restaurante à beira da estrada e chegamos à Lavras Novas por volta de 9h30.

Igreja Nossa Senhora dos Prazeres
Após os preparativos finais e fotos na Praça Central de Lavras Novas defronte à histórica Matriz de Nossa Senhora dos Prazeres iniciamos a caminhada pela Rua homônima, sentido saída do Distrito. Era 10h00 da manhã e o arraial já estava com um bom número de visitantes!

Dois belos cães juntaram-se a nós e logo tomaram a dianteira. Caminhamos pela rua por dois quarteirões, quando demos uma guinada à esquerda e adentramos por um caminho mais apertado e sombreado. Poucos metros adiante despontamos para a bela vista do vale em direção à Chapada. 

Pocinhos
Começamos um trecho de descida, com trilhas um pouco erodidas em alguns pontos. De um início mais íngreme e rodeada por uma capoeira, a trilha transforma-se em uma descida suave, passando por um descampado que possibilita visual bastante amplo. Trecho sem problemas, grupo coeso e em 40 minutos de caminhada tranquila já chegávamos aos Pocinhos de Lavras Novas.

Como o próprio nome indica, trata-se de uma série de poços formados por "caldeirões" nas rochas. Em um dado ponto, há uma pequena queda d'água, que se permite ficar em pé sob a água. O tempo estava nublado e o sol tímido; mas como já começava a fazer calor, alguns foram aproveitar os belos pocinhos para um mergulho; puxados pelos animados cães!!!

Vista desde o Mirante da Rapel: Represa do Taboão e Serra da Chapada
Após 40 minutos de curtição e descanso retomamos à caminhada através de uma trilha à margem esquerda do Córrego dos Pocinhos. Em um ponto bem abaixo cruzamos o ribeirão e fomos em direção ao mirante da Cachoeira do Rapel, aonde chegamos em torno de 11h40 da manhã. O sol já se fazia presente e o calor era intenso.

Este mirante permite ver o grande vale abaixo, por onde passa a estrada para o distrito de Santo Antonio do Salto. Além disso, vê-se também a Serra da Chapada (ou do Jacaré); além de uma ponta da Represa do Taboão, que fica nas proximidades do Distrito de Itatiaia. Devido à pirambeira, não é recomendado acessar a Cachoeira do Rapel através do seu topo. Tampouco é possível vê-la. Formada pelas águas do Ribeirão dos Pocinhos, a Cachoeira do Rapel é uma queda intercalada por rochas, cuja altura beira os 200 metros. Seu acesso dá-se somente pela parte baixa. Curiosamente e apesar do nome, não é recomendado o rapel nesta Cachoeira, pois há atrito intenso das cordas com as rochas; aliás, é proibido o rapel no lugar; inclusive há uma placa no local alertando sobre isso.

Após 15 minutos de contemplação desde o mirante, retomamos a caminhada. Subimos em curva o morrote adiante e ao chegarmos ao seu topo já foi possível ver o vilarejo da Chapada adiante. Trilha bem marcada, caminhamos em direção à uma matinha rala, fazendo um desvio e indo em direção à um conjunto de rochas com formato diferente e curioso, algo pouco comum no Espinhaço. As rochas se assemelham a um derramamento de larva de um vulcão. Do local e após consultar o grupo, fizemos um corta caminho em direção à trilha principal varando mato pela capoeirinha. Foram apenas uns 20 metros de vara-mato.

Trecho do Caminho Novo da Estrada Real
De volta à trilha principal e na descendente, cruzamos novo córrego próximo ao Pocinho Verde; e após curta subida adentramos no trecho oficial do Caminho Novo da Estrada Real; inclusive há um totem defronte à encruzilhada. Trilha batida, continuamos na descendente, cruzamos uma porteira e logo chegamos à estrada que vem de Santo Antonio do Salto.

Já estávamos na entrada do arraial da Chapada; aonde um grupo de vacas descansavam tranquilamente. Passamos em frente ao Camping do Chará e subindo pelo calçamento chegamos à praça central da Chapada. Em contraste com Lavras Novas, apenas moradores e alguns poucos visitantes circulavam pelo lugar. O sol queimava e eram por volta de 13h00.

Cachoeira do Castelinho
Imediatamente nos direcionamos para a Cachoeira do Castelinho. A estradinha de acesso inicia-se à esquerda da Capela de Santana através de uma forte descida. Por esse motivo há a presença de concreto duplo no trecho. Após uma pequena ponte, há uma subida e logo depois do morrote uma descida. Pronto, já estávamos na Cachoeira do Castelinho.

A cachoeira é bem grande; com um bom poço e as águas da queda "escorregam" por uma rocha. Os cães não resistiram e mergulharam no poço; e tornaram a atração principal do lugar. Enquanto o pessoal ficou curtindo o poço, fui até a parte alta da cachoeira. No trecho há uma sequência de poços com variados tamanhos; todos muito propícios para banhos; especialmente para quem quer um pouco mais de privacidade; uma vez que são menos frequentados, pois o acesso é um pouco reservado.

Capelinha de San'Ana na Chapada
Por volta das 14h30 deixamos a Cachoeira do Castelinho e retornamos para a Chapada, aonde chegamos beirando às 15 horas. Cruzamos a curta extensão da pracinha central de Chapada e nos dirigimos à Casa de Regina, que nos aguardava para o almoço. Os cães que até então nos acompanhavam voltaram para Lavras Novas! Após almoço e descanso, às 16h00 embarcamos de volta para Belo Horizonte. 

Cachoeira do Falcão
Aproveitamos e fizemos uma parada na Cachoeira do Falcão, que fica uns 300 metros abaixo da estrada que liga Chapada à rodovia Ouro Preto - Ouro Branco. Apenas alguns se animaram a enfrentar o sol forte e o desnível para chegar até a Cachoeira. Esta Cachoeira é muito bonita, com uma boa queda d'água, porém seu poço é raso. Fui até a parte alta da cachoeira, de onde alguns corajosos mergulham no poço. Abaixo da Cachoeira há outros pequenos poços, todos convidativos ao banho. Ficamos pouco tempo no local, pois estava repleta de visitantes.

Da parte alta mesmo eu subi a ladeira, chegando em minutos ao estacionamento aonde estavam as vans. Beirando 17 horas já estávamos na estrada com destino à Belo Horizonte; aonde chegamos em torno de 19h00.

Serviço

Rota no GE
Lavras Novas é um Distrito de Ouro Preto e dista 17 km da sede. Surgida em princípios do séc. XVIII, transformou-se a partir da década de 90 em um agitado vilarejo, ganhando novos moradores e passando a oferecer boa infra estrutura turística. Situada aos pés da Serra do Trovão, Lavras Novas possui vários atrativos naturais, como a Cachoeira dos Namorados e Três Pingos. Do Distrito é possível acessar o Parque Estadual do Itacolomi, passando pela Represa do Custódio através de um trajeto que é a primeira parte do Caminho Novo da Estrada Real.

Já Chapada surgiu após Lavras Novas e o subdistrito não passa de duas ruas, com aproximadamente 100 moradores. O casario simples e singelo ornam a praça principal, cujo principal destaque é a Capelinha de Santana. Seus atrativos são a Cachoeira do Castelinho, do Falcão e a Serra da Chapada.

Quanto a trilha, trata-se de uma caminhada leve de aproximadamente 10 km (Lavras Novas - Chapada - Castelinho - Chapada). O primeiro trecho é sempre na descendente e passa pela Cachoeira dos Pocinhos, topo da Cachoeira do Rapel e chega-se ao arraial da Chapada. No trecho final percorre a mesma trilha da Estrada Real - Caminho Novo. Para a Cachoeira do Castelinho alterna subida e descida, porém em trecho bastante curto.

Já a Cachoeira do Falcão fica fora da Chapada na margem esquerda da estrada que liga o arraial à rodovia Ouro Preto - Ouro Branco. O acesso é por uma descida em trilha íngreme de aproximadamente 300 metros. Da estrada é possível avistar a Cachoeira.

Distâncias

Belo Horizonte a Lavras Novas: 117 km
Ouro Preto a Lavras Novas: 17 km 

Como chegar e voltar - de ônibus
Cidade referência: Belo Horizonte

Ida: Viação Pássaro Verde até a cidade de Ouro Preto → Viação Transcota (Tel 31-3551-2385) até Lavras Novas.
Volta: Táxi ou à pé até estrada de Lavras Novas. A partir dali utiliza-se as mesmas empresas de ônibus.

► Verifique horários e frequências nas empresas de ônibus.
► O coletivo para Lavras Novas parte da Estação Ferroviária de Ouro Preto, e não da rodoviária.

Como chegar e voltar - de carro
Cidade referência: Belo Horizonte

Ida: BR 040 até Trevo de Alphaville → BR 356 até Ouro Preto → No Bairro Saramenha, tomar a MG 129 sentido Ouro Branco → Entrar no trevo de Lavras Novas (trecho sinalizado).
Volta: Estrada de Terra de Chapada até Estrada de Lavras Novas → MG 129 até Ouro Preto → BR 356 até Trevo de Alphaville → BR 040 até Belo Horizonte.

► A estrada para Lavras Novas alterna asfalto (início) e terra (já na parte final, pois a estrada ainda não está pronta).
► Início e final se dão em pontos distintos. Se programe!

Considerações finais

► Em grupos menores o trajeto pode ser feito rapidamente, pois não apresenta dificuldades e é sempre na descendente.

► Proteja-se do sol, pois sombras são pouquíssimas em todo o trajeto.

► Reserve um tempo para conhecer Lavras Novas e Chapada.

► Muito cuidado no Mirante próximo à Cachoeira do Rapel: no local já ocorreram acidentes graves.

► O ideal para se fazer essa caminhada é em dia de semana, pois as cachoeiras que são os principais atrativos do lugar possuem fácil acesso, por isso em finais de semana normalmente ficam repletas de visitantes.

► Confira algumas Dicas Básicas de Segurança para a prática de Atividades Outdoor

►Pratique a atividade aplicando os Princípios de Mínimo Impacto

Bons ventos!

Mais Trekking Pra Você...

Alimentação: o que levar para as trilhas

A alimentação em trilhas é um aspecto que preocupa a muitos, especialmente os iniciantes na prática de hiking ou trekking. E é uma preocupação pertinente, pois naturalmente ninguém quer passar fome enquanto se caminha; em especial se estiver em ambientes mais distantes e isolados.

Além disso, somos resultados do que comemos, já diz a velha máxima! Entretanto, a preocupação e dúvida sobre o que levar muitas vezes faz com que o caminhante se abasteça de alimentos nem sempre adequados a uma aventura; ou ainda, exagere na sua quantidade; comprometendo seriamente o êxito de uma aventura!
O pulo do gato para minimizar possíveis problemas é não fugir abruptamente do seu hábito alimentar cotidiano, que suponho, seja saudável. Normalmente, nosso organismo já é adaptado aos alimentos que costumeiramente ingerimos, de modo que, mantendo os hábitos, dificilmente teremos complicações.

Igualmente não se preocupe em abarrotar sua mochila com grandes quantidades de alimentos. Quando caminhamos, norm…

Cachoeira de Congonhas: um complexo belíssimo do ParnaCipó!

O Parque Nacional da Serra do Cipó é grandioso sob todos os aspectos. Localizado a aproximadamente 100 km ao norte de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais, conta com atrativos naturais espalhados por toda a sua área. Inúmeras espécies vegetais e animais integram um ambiente extraordinariamente harmonioso e belo, cujos afloramentos rochosos fazem a mente do aventureiro viajar.

Rico em recursos hídricos, em sua parte alta e oriental, nas proximidades da rodovia MG 10, está localizada a Cachoeira de Congonhas, uma joia do ParnaCipó. Formada pelas águas do Ribeirão Congonhas, consiste em 3 principais quedas d'água, que despencam em direção ao vale da Bocaina, parte baixa do ParnaCipó. Foi nesse lugar espetacular que estivemos no último dia 12 de abril.
Rota realizada e disponibilizada no Wikiloc(incluída em Mar 2016) Além de possibilitar estudar e visualizar a região, você poderá baixar este tracklog (necessário se cadastrar no Wikiloc); e inclusive utilizá-lo no seu GPS ou smartphon…

Ponta da Joatinga: a Travessia que une paixões!

Localizada no município de Parati, litoral Sul do Estado do Rio de Janeiro, a Ponta da Juatinga é uma península conhecida pela sua expressiva beleza natural. Região habitada pelos descendentes Caiçaras, caracteriza-se por vegetação de mata atlântica, relevo acidentado e clima quente e úmido; além de inúmeras praias em sua maioria desertas. A importância e beleza da região são tão expressivas que a península está protegida pela Área de Proteção Ambiental do Cairuçu e a pela Reserva Ecológica da Juatinga, limitando-se com áreas do Parque Nacional da Serra da Bocaina...
Atualização Fev 2016 Rota realizada e disponibilizada no Wikiloc Além de possibilitar estudar e visualizar a região, você poderá baixar este tracklog (necessário se cadastrar no Wikiloc); e inclusive utilizá-lo no seu GPS ou smartphone (necessário instalar aplicativo). Recomendamos que utilize esta rota como fonte complementar dos seus estudos. Procure sempre levar consigo croquis, mapas, bússola e outras anotações que poss…

Complexo do Viana em Rio Acima: as maiores cachoeiras nos arredores de BH!

A região localizada a leste-sudeste de Belo Horizonte é rica em atrativos naturais. É a tão falada região da Serra do Gandarela, cujos limites ampliados vão da encosta leste da Capital até os limites do Caraça, em Santa Bárbara no sentido oeste-leste; e desde Itabirito até Caeté no sentido sul-norte.

É recoberta por vegetação de transição, mesclando mata atlântica, cerrado e campos de altitude. Seu relevo é movimentado, como é comum nas Minas Gerais, possuindo as maiores porções de cangas do Brasil. Ao mesmo tempo, guarda em seu subsolo imensas reservas de água e minerais, em especial o minério de ferro...
Diante de tamanha riqueza, a região é objeto de acirradas discussões, cobiças e desentendimentos entre mineradoras, ambientalistas e governos. Isto culminou com a criação do Parque Nacional da Serra do Gandarela, que infelizmente não colocou um fim às pendengas, que prometem novas e grandes quebras de braços. Alheio à essas cansativas e muitas vezes rígidas posições das partes inte…

Cachoeiras em Itambé do Mato Dentro: um descanso merecido!

Itambé do Mato Dentro é um pequeno município de aproximadamente 2.500 habitantes, localizado à nordeste da Capital Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais. Encrustado na Serra do Espinhaço e à margem leste do Parque Nacional da Serra do Cipó, abriga em seu território recortes de belezas naturais marcantes.

Ao contrário que imaginamos, Itambé vai muito além do famoso e conhecido Distrito de Cabeça de Boi, oferecendo ao aventureiro outras possibilidades, especialmente cachoeiras. Foi para conhecer e desfrutar de alguns desses atrativos que nos mandamos pra Itambé no feriado do dia da Pátria. A missão era visitar as cachoeiras da Serenata, Vitória, Funil e Lúcio, um final de semana dedicado à curtição mais sossegada...
Rota realizada e disponibilizada no Wikiloc Além de possibilitar estudar e visualizar a região, você poderá baixar este tracklog (necessário se cadastrar no Wikiloc); e inclusive utilizá-lo no seu GPS ou smartphone (necessário instalar aplicativo). Recomendamos que utilize e…