Pular para o conteúdo principal

Petrópolis a Teresópolis: Perguntas e Respostas

Imagem clássica da Travessia Petrô-Terê ou Terê-Petrô
A Travessia Petrópolis x Teresópolis é um clássico do Montanhismo brasileiro. Não há estatísticas comparando realizações de travessias pelo Brasil, mas é possível afirmar que a "Petrô-Terê" encontra-se dentro das mais realizadas no País. Seu grande apelo é o visual cênico; sendo considerada uma das rotas mais bonitas do Brasil.

Em resposta às muitas solicitações de informações que recebemos sobre esta rota, elaboramos essa série de Perguntas e Respostas, visando esclarecer as dúvidas mais comuns; bem como demonstrar nosso ponto de vista quanto à Travessia. Consideramos para tal o formato Clássico com início em Petrópolis e término em Teresópolis. 

Travessia Petrópolis x Teresópolis - FAQ

▼ Menu Perguntas - clique naquela desejada e vá direto às respostas ▼
01. O que é e onde se desenvolve a Travessia Petrópolis x Teresópolis?
02. É possível uma descrição passo a passo da Travessia Petrópolis x Teresópolis?
03. O que é necessário para realizar a Travessia Petrópolis x Teresópolis?
04. Como chegar ao início da Travessia - Portaria Petrópolis?
05. Como retornar do final da Travessia - Portaria Teresópolis?
06. Qual o tempo para realizar a Travessia Petrópolis x Teresópolis?
07. Há pontos que merecem atenção especial na Travessia Petrópolis x Teresópolis?
08. É possível realizar a Travessia Petrópolis x Teresópolis sozinho?
09. É obrigatória a presença de Guia ou Condutor na Travessia Petrópolis x Teresópolis?
10. Quais os locais de pernoite existentes na rota da Travessia Petrópolis x Teresópolis?
11. Quais os serviços oferecidos pelo Parque? São gratuitos?
12. Como comprar ingressos e os serviços oferecidos pelo Parque?
13. Há algum ponto comercial na rota da Travessia Petrópolis x Teresópolis?
14. Há sinal de telefonia móvel na rota da Travessia Petrópolis x Teresópolis?
15. Há rotas de fuga pela Travessia Petrópolis x Teresópolis?
16. Tenho boa saúde e bom condicionamento físico; mas não sou praticante de trekking; não possuo equipamentos e não tenho experiência no uso de cargueiras. Posso realizar a Travessia?
17. Alguns afirmam que a Travessia Petrópolis x Teresópolis é dificílima. Outros afirmam que é facílima. Isto me deixa confuso. O que há de verdadeiro nessas afirmações?
18. Como proceder em casos de acidentes graves durante a Travessia Petrópolis x Teresópolis?
19. Há outros atrativos no Parnaso além da própria Travessia Petrópolis x Teresópolis?

01. O que é e onde se desenvolve a Travessia Petrópolis x Teresópolis?
É um Trekking com aproximadamente 30 km de extensão; que percorre através de trilhas a parte alta do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, que também é conhecido como Parnaso. O Parque abrange áreas nos municípios de Petrópolis, Teresópolis, Guapimirim e Magé; no Estado do Rio de Janeiro. Sua sede principal está em Teresópolis, junto à cidade.
Esta Travessia pode ser feita tanto no sentido Petrópolis x Teresópolis, que é o formato mais usual e tradicional; quanto no sentido Teresópolis x Petrópolis - neste caso há a desvantagem de caminhar de costas para o visual mais belo da Travessia.

02. É possível uma descrição passo a passo da Travessia Petrópolis x Teresópolis?

Da Portaria Petrópolis ao Açu:
Da Portaria Petrópolis até a bifurcação da Gruta Presidente a trilha segue margeando o Rio Bonfim pela sua esquerda; é sombreada; em leve aclive e apresenta alguns pontos de água . A bifurcação da Gruta Presidente é um ponto importante. Cerca de 100m à esquerda além da Gruta, que se assemelha a uma lapa, está também o penúltimo ponto de água perene antes do Açu. Também é o acesso opcional à Cachoeira Véu da Noiva de Petrópolis; localizada a 2 km (ida e volta) desde a bifurcação. Na bifurcação inicia uma subida íngreme, parcialmente sombreada, que levará até à Pedra do Queijo. Após, continuação da subida, passando pelo Morro da Samambaia; chegando até o Ajax; onde está o último ponto de água antes do Açu. No Ajax inicia a conhecida subida da Isabeloca, que em 2015 teve um trecho remanejado. Em um ombro da subida já será possível avistar a Baía da Guanabara à direita. Na sequência, a trilha levará até o Mirante Graças a Deus. Após, a trilha é mista, com aclives e declives suaves pelo Chapadão do Açu; desembocando no Castelo do Açu. O Abrigo estará à esquerda.

Do Castelo do Açu até o Abrigo 4 ou Abrigo Pedra do Sino:
É o trecho mais exigente de toda a Travessia; alguns deles técnicos. Há 6 declives e 6 aclives maiores em todo o trecho; além de raras sombras. Saindo do Abrigo do Açu ou do Camping do Açu há o primeiro declive em lajeado e imediata subida íngreme até o cume do Morro do Marco. Curta descida e chega-se ao ponto onde se pode acessar o Portal de Hércules (2 km ida e volta). Seguindo ainda em declive percorre trecho rumo ao Vale da Luva; onde há um ponto de água. Passagem por mata nebular e subida descampada até o subcume do Morro da Luva. Descida rumo à Cachoeirinha (ponto de água); cruzar de 2 pequenas pontes em madeira e imediata subida do Elevador. Descida em lajeado e suave aclive no Morro do Dinossauro. Descida com trechos em lajeado até o Vale das Antas (ponto de água). Subida entre mata nebular passando pelo Dorso da Baleia. Descida rumo ao Mergulho. Subida pela canaleta da Pedra do Sino, passando pelo Cavalinho e Coice. Adiante encontra-se a bifurcação de acesso ao cume da Pedra do Sino; cerca de 500m à direita. Na rota principal; segue suave declive até o Abrigo 4 (ou Abrigo Pedra do Sino).

Do Abrigo 4 até a Barragem em Teresópolis:
Trata-se de um longo trecho em suave declive com trilha ampla e sombreada por mata atlântica em 90% do trecho. Aproximando da Barragem há trecho em calçamento antigo em estilo pé de moleque, irregular e com presença de lodos e buracos em vários pontos. Há riscos de quedas; uma vez que, o final da Travessia está próximo e normalmente relaxamos e tendemos a ficar mais desatentos. Nesse último trecho há alguns pontos de água.

Da Barragem à Portaria Teresópolis:
Há uma via de aproximadamente 3 km com calçamento em Paralelepípedos. Sempre que possível, é recomendável evitar caminhadas por este trecho, pois é cansativa e escorregadia em alguns pontos devido ao sombreamento da mata atlântica, que resulta em lodo em alguns pontos.

03. O que é necessário para realizar a Travessia Petrópolis x Teresópolis?
Imprescindível apresentar boa saúde; bom condicionamento físico e mental.
Desejável experiência na prática de trekking.
Se realizar de modo autônomo é necessário possuir equipamentos e materiais para trekking ; bem como capacidade em transportá-los. Opcionalmente, também pode ser necessária experiência na lida em acampamentos. 

04. Como chegar ao início da Travessia - Portaria Petrópolis?
► De ônibus:
Desembarcar na Rodoviária de Petrópolis. Embarcar em coletivo da linha 150 para o Terminal Corrêas. Neste terminal há duas opções: embarcar no coletivo da linha 611 Bonfim e desembarcar no ponto final a 1 km da Portaria e seguir à pé; ou embarcar no coletivo da linha 616 Pinheiral e desembarcar próximo à Escola Rural, ponto mais próximo à Portaria Petrópolis. Seguir à pé por curto trecho até à Portaria.
► De carro:
Da BR 040 acessar o Distrito de Itaipava. Há placas indicativas da Portaria Petrópolis pelo trajeto.
Observações:
Não há estacionamento público na Portaria; mas há opções privadas nos arredores.
Não se assuste com estado do acesso à Portaria Petrópolis, principalmente nos seus quilômetros finais: é uma via estreita - cabe um veículo por vez; é de chão batido, repleta de buracos e ondulações. Nem parece acesso a um dos Parques mais importantes do Brasil.

05. Como retornar do final da Travessia - Portaria Teresópolis?
► De ônibus:
Deixar a Portaria e na Avenida em frente deslocar-se para à esquerda. Há um ponto de ônibus na via logo à frente. Seguir para a Rodoviária de Teresópolis e desta para sua cidade; ou seguir para Petrópolis, que é a maior cidade da região e com mais opções de ligações via ônibus.
► De carro:
Seguir à esquerda para Teresópolis, cruzando a cidade. Seguir pela Rodovia União e Indústria até Itaipava; onde se acessará a BR 040.
Observações:
Há estacionamento público pago na Sede Teresópolis.
Lembre-se que se trata de uma travessia, logo iniciará num ponto e terminará noutro; sendo necessário programar resgate.

06. Qual o tempo para realizar a Travessia Petrópolis x Teresópolis?
► Em 3 dias e 2 noites - Modo Clássico (Leia nosso relato de três dias, clique AQUI):
É opção que permite realizar uma caminhada com tranquilidade e ótimo proveito dos atrativosNo primeiro dia percorre-se da Portaria Petrópolis ao Castelo do Açu (aprox. 8 km). No segundo dia percorre-se do Castelo do Açu ao Abrigo 4 ou Pedra do Sino (aprox. 7 km - não estão inclusos eventual ida ao Portais de Hércules ou ataque ao cume da Pedra do Sino). No terceiro e último dia percorre-se do Abrigo 4 à Barragem de Teresópolis (aprox. 9,5 km - não estão inclusos eventuais ataques a cumes próximos; ou ao trecho Barragem-Portaria).
Outros Modos:
► Em 2 dias e 1 noite (Leia nosso relato de dois dias, clique AQUI):
É opção indicada para caminhantes mais experientes, pois há uma desproporcionalidade diária na quilometragem a percorrer. Explicando: o pernoite é obrigatoriamente no Castelo do Açu; localizado a 8 km desde a Portaria Petrópolis. Logo o  segundo dia será mais longo (aprox. 17 km); passando inclusive pelo trecho mais exigente da Travessia, que é entre o Açu e o Sino.
► Em 1 dia; sem pernoite:
Formato somente indicado para caminhantes experientes; ou como forma de treinamento ou desafio. Tem a vantagem de não exigir transporte de equipamentos.

07. Há pontos que merecem atenção especial na Travessia Petrópolis x Teresópolis?
Sim, existem pontos que merecem atenção redobrada. São eles:
► 1) Elevador, após a descida do Morro da Luva e Cachoeirinha, uma via ferrata de fácil transposição; mas requer cautela;
► 2) Lajeado mais inclinado na descida do Morro após o Elevador (antes do Dinossauro), que quando molhado oferece riscos de escorregões e quedas;
► 3) Mergulho, grota que antecede a subida da canaleta da Pedra do Sino; que pode exigir ou não o uso de cordas para apoio e quando molhada oferece riscos de escorregões e quedas;
► 4) Cavalinho, na canaleta da Pedra do Sino, que pode exigir ou não o uso de cordas para apoio, cuja lateral esquerda sentido Açu-Sino é um precipício;
► 5) Coice, que é um Degrau imediatamente após o Cavalinho, que se transpõe por força e apoio inferior, cuja lateral esquerda sentido Açu-Sino é um precipício.

08. É possível realizar a Travessia Petrópolis x Teresópolis sozinho?
Veja, preste atenção:
Se alguém faz essa pergunta é altamente provável que esta pessoa ainda não tenha a segurança, experiência e o conhecimento necessários para realizar esta Travessia ou qualquer outra de modo sozinho. Nesses casos a recomendação é ir sempre acompanhado de alguém experiente, seguro e principalmente conhecedor da rota; seja algum condutor/guia; seja algum amigo boa gente (que fará o papel de condutor/guia). 

Porém, apesar de todas as limitações de uma caminhada em solitário, se o interessado possuir experiência na prática de trekking; além de conhecimentos em orientação  e navegação é perfeitamente possível realizar essa Travessia de modo solo. 

09. É obrigatória a presença de Guia ou Condutor na Travessia Petrópolis x Teresópolis?
Exceto para ações específicas, os Parques Nacionais do Brasil não estabelecem a obrigatoriedade da presença de guia ou condutor nas rotas das Travessias.
Porém, como afirmamos na resposta anterior, caso o interessado na realização da Travessia ainda não tenha a segurança, experiência e o conhecimento necessários; a recomendação é ir sempre acompanhado de alguém experiente, seguro e principalmente conhecedor da rota; seja algum condutor/guia; seja algum amigo boa gente (que fará o papel de condutor/guia). 

10. Quais os locais de pernoite existentes na rota da Travessia Petrópolis x Teresópolis?
Os pontos para pernoite estão no Castelo do Açu e na base da Pedra do Sino. É expressamente proibido o pernoite fora desses dois locais na parte alta do Parque.
Nesses dois locais há duas opções para pernoite:
► Camping: áreas com gramado simples, primário, sem delimitações e com muitas imperfeições, em especial no Castelo do Açu. Sanitário único com banho frio. Não há cozinha coletiva para campistas; sequer uma mesa ou um banco velhos para algum auxílio.
► Abrigo: construções gêmeas em ambos locais; simples, em madeira, porém com razoável engenharia, dividida em cozinha, banho/sanitários; quartos com beliches e mezanino para bivaque.

Apesar da maior comodidade e conforto do pernoite nos Abrigos, para quem prefere um pouco mais de privacidade e sossego, os camping costumam ser melhores opções; pois os Abrigos são verdadeiras babilônias até às 22h00; além de não raras vezes apresentar um cheiro insuportável e limpeza sofrível.

11. Quais são os serviços oferecidos pelo Parque? São gratuitos?
O Parnaso disponibiliza através de empresa terceirizada alguns serviços. Todos os serviços são pagos e podem ser conferidos através do site do Parque www.parnaso.tur.br
► Camping: locação de barracas.
► Abrigo: cozinha instalada, banho quente, pernoite em bivaque; pernoite em beliche.

12. Como comprar ingressos e os serviços oferecidos pelo Parque?
Através do site www.parnaso.tur.br, que é autoguiado.
Também é possível comprar entradas e serviços nas Portarias do Parque.
Procure comprar as entradas e serviços com antecedência pois as vagas costumam ser disputadas, em especial nos feriados e fins de semana, principalmente no inverno.

13. Há algum ponto comercial na rota da Travessia Petrópolis x Teresópolis?
Não. Por isso leve seus alimentos em quantidades e variedades suficientes para a realização da rota no modo planejado.

14. Há sinal de telefonia móvel na rota da Travessia Petrópolis x Teresópolis?
Sim. Porém somente de algumas operadoras e em alguns pontos, principalmente no início e na descida final da Travessia. No alto da serra não há sinal constante; tendo que circular à procura.
Mas veja, preste atenção: Não vá para essa rota afiançado em sinal de telefonia móvel, afinal será pouco tempo que permanecerá naquele trecho. Desconectar faz bem!

15. Há rotas de fuga pela Travessia Petrópolis x Teresópolis?
Não. Partindo de Teresópolis, a opção é o retorno se estiver nas proximidades do Açu. Partindo de Teresópolis, a opção é o retorno se estiver nas proximidades do Sino. Estando em um ponto central é necessário avaliar o motivo da interrupção da caminhada para definir qual sentido se deslocar.

16. Tenho boa saúde e bom condicionamento físico. Mas não sou praticante de trekking; não possuo equipamentos e não tenho experiência no uso de cargueiras. Posso realizar a Travessia?
Sim. Porém recomendamos que primeiramente treine caminhadas de um ou mais dias inteiros no meio natural, incluindo rotas com aclives e declives. Depois, caso agradar da prática, procure adquirir equipamentos e materiais básicos que possam permitir tal realização. Isto inclui mochila, bastão para caminhada, saco de dormir e isolante térmico; além de vestuário adequado. Barraca e itens de cozinha como fogareiro não são condições primárias para realização dessa Travessia, uma vez que, mediante disponibilidade de vagas, há a possibilidade de pernoite nos Abrigos e uso das suas cozinhas.

17. Alguns afirmam que a Travessia Petrópolis x Teresópolis é dificílima. Outros afirmam que é facílima. Isto me deixa confuso. O que há de verdadeiro nessas afirmações?
Os conceitos fácil e difícil são genéricos e tendem a apresentar alto grau de subjetividade. Podem variar de pessoa para pessoa e conforme a experiência de cada um. Logo não são termos apropriados para se classificar uma trilha-travessia. Desconfie sempre de conceitos particulares, extremos e não técnicos quando se refere a uma rota.

Desse modo, levando-se em consideração os aspectos físicos do trecho, pode-se afirmar que a Travessia Petrópolis x Teresópolis encontra-se em nível Difícil-Pesado; sobretudo por apresentar aclives e declives acentuados, alta insolação; além de pontos que exigem técnica, força e flexibilidade para transposição. Também há pontos nesta rota que merecem atenção especial: eventuais erros de circulação ou de transposição podem resultar desde acidentes simples e até a morte.

Em resumo, podemos afirmar que a Travessia Petrópolis x Teresópolis não é indicada para marinheiro de primeira viagem; mas tampouco exige esforço hercúleo para realizá-la. Se você tem pouca experiência em trekking, procure praticar mais e ampliar seu conhecimento e experiência. Optando por ir, caso ainda não se sinta seguro, não vá sozinho. Vá acompanhado por alguém mais experiente, seguro e conhecedor da rota; que pode ser um Condutor-Guia ou algum amigo gente boa, que fará o papel de Condutor-Guia. Só não deixe de ir, pois a Serra dos Órgãos é um lugar espetacular!

18. Como proceder em casos de acidentes graves durante a Travessia Petrópolis x Teresópolis?
► Se isto ocorrer com algum parceiro de caminhada:
Primeiro se acalmar a si próprio. Segundo acalmar e socorrer a vítima. Terceiro, tentar se comunicar com o Parque e com o Corpo de Bombeiros visando eventual resgate. Pode ser que tenha que amparar e se deslocar com a vítima até algum ponto mais acessível.
► Se ocorrer a si próprio, em casos solo:
As dicas são as mesmas, mas claramente qualquer delas poderá ser altamente prejudicada. Isto nos alerta o quanto é importante se evitar caminhadas solo.
Enfim, para quaisquer situações, é importante estudar e conhecer sobre primeiros socorros, não somente para esta Travessia, mas para a realização de qualquer atividade em meio natural.

19. Há outros atrativos no Parnaso além da própria Travessia Petrópolis x Teresópolis?
Sim. Nos pontos mais baixos do Parque diversos atrativos encontram-se espalhados pelos arredores das Portarias Petrópolis, Teresópolis e Guapimirim. São cachoeiras, poços e trilhas de curta distância; além é claro de alguns picos tidos como ícones do montanhismo brasileiro; em especial na Sede Teresópolis, que é a maior e mais bem estruturada de todo o Parque. É um Parque marcado por inúmeras vias de escalada.

Para trekking, na parte alta do Parque e com acesso partindo da trilha principal da Travessia está o Portal de Hércules, com início à direita a partir do Morro do Marco. É uma trilha pouco utilizada com final próximo a um precipício, por isso recomenda-se cautela. Possibilita visual marcante da Serra dos Órgãos. Já o acesso ao Morro da Cruz dá-se a partir das proximidades do Castelo do Açu através de curta trilha marcada pelo pisoteio.

E para visitar o topo da Pedra do Sino há um curto trecho de trilha marcada pelo pisoteio a partir da trilha principal Açu-Sino (ou Sino-Açu no sentido contrário da Travessia) após a subida (ou antes da descida, no sentido contrário da Travessia) da Canaleta da Pedra do Sino. Percorre alguns lajeados que não oferecem dificuldades.

Ainda na parte alta do Parque há outros pontos interessantes que podem ser atingidos por trilhas, como o Morro do Papudo, Garrafão, Simon, Pedra da Cruz etc.

Importante:
► Se tiver alguma dúvida não abordada por favor mantenha contato
► Leia o relato da Travessia Petrópolis a Teresópolis realizada em 3 dias
► Leia o relato da Travessia Petrópolis a Teresópolis realizada em 2 dias
Bons ventos!