Cachoeira da Braúna no ParnaCipó

Cachoeira da Braúna
A Cachoeira da Braúna é considerada a maior e uma das mais belas cachoeiras do Parque Nacional da Serra do Cipó. Formada pelas águas dos ribeirões da Garça e Mutuca, a Braúna está encravada na porção Sul do Parque; no município de Jaboticatubas.

Sua queda normalmente volumosa forma um dos maiores poços de cachoeira de toda a Unidade de Conservação. Complementam o conjunto bonitos paredões rochosos e matas de galerias, dando ao lugar um ar de mistério e aconchego ao mesmo tempo...

Até a década passada a Cachoeira da Braúna era considerada um "mito" no ParnaCipó. Muitos até duvidavam da sua existência. Isto é compreensível, pois naquele período as tecnologias em informação & navegação e seus compartilhamentos sequer existiam; além da política restritiva à visitação imposta pelo ParnaCipó.

Desse modo, as escassas informações orais eram garimpadas entre os poucos que circulavam por aquelas bandas; quase sempre moradores criadores de gado nos arredores. O tempo passou e de mito a Cachoeira da Braúna se tornou um dos atrativos do ParnaCipó mais visitados pelos praticantes de Trekking.

Embora localizada no município de Jaboticatubas, o principal acesso à Braúna se dá pelo povoado de Altamira de Cima ou Mutuca, distante aproximadamente 25 km em estrada de terra da sede do município de Nova União. É o acesso mais curto e consolidado para a Cachoeira da Braúna.

Em princípio de junho retornei à Braúna juntamente com amigos. Foi uma pernada tranquila num lindo dia de sol. Porém, na ocasião as águas da Braúna estavam absurdamente geladas. Isto é natural, pois ao final do outono as temperaturas são amenas naquela região.

Além do poção de grandes dimensões, outro aspecto que contribui para as geladas águas da Braúna é o fato da sua queda se apresentar de Nordeste para Sudoeste. Com isso seus paredões laterais escondem parcialmente a luz do sol em grande parte do dia durante o outono-inverno. Porém, o que nunca se esfria por lá é a extraordinária beleza e imponência da Cachoeira da Braúna...

Como a rota para a Cachoeira da Braúna é bastante conhecida no meio do Montanhismo local não faremos relato detalhado dessa pernada. Apresentaremos um quadro relacionando a quilometragem, a hora e alguns pontos da rota; além de algumas recomendações e observações importantes. Assim focamos no objetivo que é se prestar de parâmetro para outros que desejarem visitar o lugar.

Trilha da Cachoeira da Braúna Via Altamira


Localização: Porção Sul do Parque Nacional da Serra do Cipó
Endereço Início da Trilha: Povoado Altamira de Cima, zona rural de Nova União - MG
Estacionamento Início da Trilha: pequeno, isolado e desabrigado
Portaria do Parque Início da Trilha: Não há
Tarifa: gratuito
Camping: não há, proibido: área de preservação
Outros serviços: não há

Powered by Wikiloc

Atrativos

Vegetação de campos rupestres, que inclui grande variedade de espécies, formas e cores; visual amplo do Espinhaço em vários pontos da trilha; Cachoeira da Braúna

Indicação

Indicada para pessoas que já praticam caminhadas no meio natural; que apresentem boa saúde; boas condições físicas e psíquicas. Não recomendado para pessoas que nunca fizeram caminhadas no meio natural.

O que levar

Lanches e água. Não há comércio no local.
Em caminhadas no meio natural, mesmo aquelas de 1 dia também deve-se levar um pequeno kit de primeiros socorros, lanterna, bastão de caminhada e protetor solar.

O que vestir

Roupa apropriada para a prática de caminhada, preferencialmente calça e camisa de manga longa; além de calçado confortável e já amaciado; e abrigo corta vento.

Como chegar

Rodovia BR 381 até Nova União (60 km desde BH)
Estrada de terra para o Povoado de Altamira de Cima (21 km em condições medianas)

Distância da Trilha

Quilometragem Total: aprox. 22 km (11 km ida; 11 km retorno)

Duração da caminhada

De 3 a 4 horas cada trecho.
Entre ida, estada na cachoeira e retorno ao ponto inicial consumirá um dia inteiro de atividades.

Características da Trilha

Trilhas mistas; isto é, mescla trechos amplos; trechos bem marcados e trechos antigos e irregulares. Vegetação beira trilha baixa. Há aclives e declives acentuados em alguns pontos. Há trechos com cascalho. Há escassez de água a partir do km 6. Há escassez de sombra. Não há sinalização no trecho.

Descrição da Trilha

A partir do ponto até onde é possível chegar de carro a rota se inicia em aclive. É ampla, pois é a sequência da estradinha em estado precário. Há o único trecho sombreado da rota. Ainda no interior da mata há uma bifurcação à esquerda. Mantendo-se à direita entra-se propriamente na trilha, deixando a estradinha precária.

Após o km 1 desde o estacionamento há uma curta estabilização em campo aberto, seguido por novo aclive por e sobre muitas rochas; com alguns pequenos degraus. Visual ampliado e espetacular para o Sul e Sudoeste. Chegada à divisa do Parque Nacional da Serra do Cipó.

Dentro do Parque a trilha inicia suave declive; para se estabilizar logo a seguir. Área em campo aberto, com amplo visual para o Vale do Ribeirão Bandeirinha. Após um tributário do Bandeirinha a trilha entra em declive por entre afloramentos. Estabilizada novamente, a trilha corta uma estreita capoeira e desemboca no Ribeirão Bandeirinha.

Após cruzar o Ribeirão Bandeirinha há suave aclive. A trilha outra vez se estabiliza e assim prossegue até próximo a Mata da Braúna; à direita. Início de novo declive, dessa vez acentuado. Mirante da Braúna; onde a Cachoeira é visualizada em patamar bastante inferior. A trilha prossegue em declive acentuado entre muitos afloramentos e com presença de cascalho até o poção da Cachoeira. O retorno se dá pela mesma trilha da ida.

Comunicações e segurança

Não há sinal de telefonia móvel nem brigada de resgate na região.
Eventual rota de escape deve-se retornar ao ponto inicial

Importante

► Em ambiente natural recomenda-se evitar caminhadas solo
► Em caso de dúvidas busque um condutor, líder ou guia para acompanhamento
► Nunca jogue lixo nas trilhas. Trague todo o seu lixo de volta
► Proibido o acesso de animais domésticos

Tempo x Distância - Visita Junho 2019


Trilha Cachoeira da Braúna
Parque Nacional da Serra do Cipó
Acesso Via Altamira - Nova União

Estrada - Viagem em Automóvel
Hora
Km
Pontos de Passagem
6h00
0,0
Anel Rodoviário com Cristiano Machado - BH
7h20
47,5
Trevo de Acesso Nova União
7h25
52
Cidade de Nova União
7h28
54
Início estrada de terra
7h35
58,5
Bairro Carmo da União
8h00
69
Bairro Altamira
8h20
74,5
Povoado Altamira de Cima - Estacionamento

Trilha - Trekking
Hora
Km
Pontos de Passagem
8h25
0,0
Início da Caminhada Povoado Altamira de Cima
Estacionamento - Água pouco à frente
8h38
0,2
Casa a Direita
8h40
0,4
Casebre à Esquerda. Início de aclive. Mata sombreada
8h42
0,5
Bifurcação. Seguir Direita. Trilha
8h47
0,7
Porteira 1
8h49
0,8
Cabana à Esquerda
8h53
1,0
Fim de mata e aclive. Área aberta e plana
8h57
1,1
Água 1: Pode secar. Porteira à frente. Aclive suave
9h03
1,5
Tronqueira. Aclive. Muitas rochas. Olhe para trás: Lindo
9h13
1,8
Placa Parque Nacional Serra do Cipó. Brejinho na trilha
9h18
2,3
Água 2
9h28
2,8
Bifurcação discreta. Siga pela esquerda
Olhar à direita: Lindo Campo do Garça
9h32
3,6
Água 3: Pode secar
9h52
4,3
Água 4 Corguinho. Brejinho à frente
Início Declive. Afloramentos
10h17
5,7
Fim declive. Atenção: Siga reto. Direita Antiga Cabana
Atenção: Capoeira. Água 5
10h21
5,9
Ribeirão Bandeirinha. Água 6: Abasteça
Bom lugar para descanso
10h21
5,9
Descanso
10h44
5,9
Retomada da Caminhada. Mata ciliar. Aclive suave
10h51
6,7
Água 7 última: Pode secar
11h00
7,2
Fim de aclive. Ampla área de campos. Pouca variação
11h29
9,5
Mata à Direita. Início suave declive
11h39
10,1
Mirante da Braúna. Lugar lindo
Início forte declive. Cascalho
11h55
10,6
Restos de acampamento
12h00
10,8
Cachoeira Braúna. Poção

Importante:
Hora e km aproximados. Podem haver pequenas variações
Referências em trilhas também podem variar ao longo do tempo
O retorno é pela mesma trilha da ida
Nossos Tempos - Ritmo Normal
Ida: 3h35 |Retorno 3h25



Observações

► Esta não é a única de Trilha de acesso à Cachoeira da Braúna. É apenas a rota mais consolidada, mais curta e mais fácil para se chegar à Cachoeira.

► Há outras rotas para a Cachoeira da Braúna; como aquela a partir do Noroeste pelo Cânion das Bandeirinhas; aquela vinda dos campos altos ao Norte; aquela vinda dos Currais à Leste-Nordeste; e outra via também vinda do Sul, mas pelo Campo do Garça, a partir de Ipoema.

► Em todas essas opções outras para se atingir a Braúna os trajetos são mais longos, não há sinalização e apresentam pontos confusos ou que podem gerar confusão aos menos experientes. Portanto recomenda-se que somente devam ser utilizados se acompanhado por algum líder ou condutor.

► É possível ir até o ponto inicial dessa trilha através de linha regular de ônibus desde BH; complementando com uso de transporte rural de ônibus de Nova União para Altamira. Nesse trecho último os horários e frequências são mais escassos. Confira no site do Transporte Metropolitano de BH e junto à Prefeitura de Nova União os horários, frequências e tarifas;  para que possa analisar e programar sua trilha adequadamente; se for o caso.

► No mesmo curso d'água imediatamente acima da queda da Cachoeira da Braúna há outro poção e pequena queda. Trata-se da 'Brauninha'. Para atingi-la há uma trilha que sobe a encosta na margem direita da queda. Porém trata-se de uma passagem suja e não autorizada pelo ParnaCipó. Na sequência leito acima e a aproximadamente 3 km encontra-se a Cachoeira do Garça; cujo acesso não é consolidado.

► No mesmo curso d'água a jusante da queda da Braúna há o Cânion da Braúna. Abriga alguns bonitos poços e recantos; embora apresente dimensões singelas se comparado ao seu irmão Bandeirinha.

► Como curiosidade as águas do Ribeirão da Garça desaguarão no Ribeirão Bandeirinhas após o Cânion da Braúna. Reunidas cortarão o belíssimo Cânion das Bandeirinhas, localizado a aproximadamente 6 km à Noroeste; um dos atrativos mais visitados de todo o ParnaCipó. Após o Cânion, o Garça se juntará ao Ribeirão dos Confins, formando o Ribeirão Mascates.

► Área de Preservação: Proibida a presença de animais domésticos.

► Área de Preservação: Proibido acampamentos na Cachoeira da Braúna e arredores.

► Serviços de hospitalidade na região são restritos e concentrados junto ao arraial de Altamira de Baixo.

► Em períodos chuvosos pode não ser possível realizar essa trilha; pois há córrego coletor a cruzar pelo trajeto.

► Em períodos chuvosos a estrada de terra entre Nova União e Altamira pode se apresentar lamacenta. Isto se agrava entre Altamira e Altamira de Cima-Mutuca. Nesse período vá preparado para não ser surpreendido.

► Cartas topográficas: Jaboticatubas e Baldim


► Pratique a atividade aplicando os Princípios de Mínimo Impacto

► Para mais informações sobre esse atrativo entre em contato conosco


Mais imagens da Trilha da Cachoeira da Braúna - Datas diversas

Vista para o Sul da Serra de Altamira






Mirante da Braúna




O tamanho do poço da Braúna

Cânion da Braúna

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Parabéns Chico! Os detalhes que você descreve são fantásticos e fundamentais para quem vai se aventurar nas trilhas.

    ResponderExcluir
Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)