quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Pedra Grande em Igarapé: beleza e resistência!

Eu e a Pedra Grande de Igarapé
Diferentemente do agito do carnaval de 2012, esse ano de 2013 decidi que era tempo para o sossego. Por outras circunstâncias também não programei trilha nenhuma. Mas depois de três dias em casa comecei a ficar incomodado. Na segunda feira de carnaval recebi um convite para ir a Ipoema, um distrito de Itabira, na terça feira; mas os planos não deram certo. Assim decidi no estalo que iria à Pedra Grande, na cidade de Igarapé, um lugar próximo à Belo Horizonte que há muito queria ir conhecer, mas toda vez que marcava ir nunca dava certo! Localizada na divisa dos municípios de Igarapé e Itatiaiuçu, a Pedra Grande é o ponto culminante dos municípios, com aproximadamente 1.400m de altitude. Do seu cume é possível ver grande parte da Região Metropolitana de Belo Horizonte...

► Leia também nosso relato de outra visita à Pedra Grande pela Rota Sul

A pequena cidade de Igarapé está situada às margens da BR 381, sentido Sul (para São Paulo), distante aproximadamente 60 km de Belo Horizonte.  A Pedra Grande fica logo após a cidade, no alto da Serra de Igarapé. Além de permitir ascensão ao seu cume, a Pedra Grande possui em suas longas paredes várias vias de escalada, ponto bastante conhecido na Região de Belo Horizonte. É uma bela formação cercada por intensa atividade de mineração, o que a torna uma sobrevivente em meio a tanta intervenção humana. Mesmo sendo objeto de proteção via Decreto Municipal da cidade de Igarapé; além de um Decreto Estadual que protege os mananciais do complexo Serra Azul, sua área é cobiçada pelas mineradoras que atuam na região.

Curva da Ferradura, local onde desembarquei
Trecho inicial em asfalto
Na bifurcação tomar à esquerda
Saí de casa bem cedo ainda na expectativa de ir para Ipoema, porém após algumas tentativas frustradas, as dei por encerradas. Nem desci do coletivo e fui direto para a estação de metrô Eldorado, em Contagem, aonde cheguei por volta de 7h15 da manhã. Às 7h45 tomei o ônibus coletivo que iria para a cidade de Rio Manso via BR 381 (Linha número 3793). Uma hora de viagem depois, na altura da curva da Ferradura, aos pés da Serra de Igarapé, desci do ônibus, onde há uma bifurcação à direita. Era por volta de 8h40 quando comecei a caminhar por uma estradinha asfaltada, porém estreita. Logo no início, à esquerda há um trailer intitulado Vivendas Santa Mônica, que vende terrenos na região. Ao lado há uma casa, onde confirmei com um rapaz (que vestia a bela camisa do Atlético Mineiro) que estava no caminho certo.

O pé de cedro quase na estrada. Entre à esquerda
Uns 15 minutos de caminhada e chegava ao final do asfalto, onde há uma bifurcação. À direita vai para o bar Vila da Pedra Grande. À esquerda segue a estrada de terra com placa de Global Mineração. Sigo por esta empoeirada estrada marcada pelo trânsito de caminhões de mineração. Logo encontro um ponto de água, à esquerda. E vou seguindo por aquela estradinha cheia de curvas por uns 40 minutos, de onde em vários momentos podia-se ver a pontinha da Pedra Grande, meu destino final. Inclusive pude observar que haviam pessoas no seu cume. Ainda na estrada, no final de uma subida chego a uma pequena mata de eucaliptos à minha esquerda. Segundo me informei esse seria o ponto em que deveria deixar essa estrada. O ponto é bem marcado com um pé de cedro praticamente dentro da estrada poucos metros adiante, além de uma seta vermelha no tronco do que outrora deve ter sido uma porteira.A estradinha vicinal à esquerda, onde só passa 4x4 preparado!

Início da estradinha 4x4
Deixo a estrada de terra e entro à esquerda pela estradinha que segue por entre os eucaliptos. À esquerda existem as ruínas do que fora uma casa. Sigo à direita na bifurcação adiante e morro acima. Essa estradinha é repleta de erosões e pedras soltas, modos que somente carros 4 x 4 preparados poderiam subi-la. A estradinha íngreme segue serpenteando o morro e em vários pontos existem bancos de madeira para descanso. A vista do vale vai se abrindo e cada vez mais belo.

Pontinha da Pedra Grande
A Pedra Grande vista desde o Mirante
Desconfiado que a subida estivesse muito longa, logo fui tranqüilizado por um gentil motociclista trilheiro que encontrei na trilha: atenciosamente confirmou que eu estava no caminho certo, apenas teria que subir mais. Caminho ainda por um trecho e logo após chego a uma bifurcação, onde sigo para a direita. Subo um lance de morro, encontro com um grupo de adolescentes que vinham da Pedra Grande e então vejo logo adiante a ponta da Pedra. Estou no topo da Serra de Igarapé, onde é relativamente plano. Passo por mais uma bifurcação e sigo sempre à direita: aí não tem erro. Logo chego ao mirante da Pedra Grande, onde posso contemplar a beleza da sua formação. Era 10h25 da manhã.

O mirante é um ponto plano bem em frente e a leste da Pedra Grande, separados por uma depressão e possui alguns bancos para descanso. Fiquei um bom tempo por lá admirando a Pedra Grande e o vale em direção a Mateus Leme a oeste, a leste os picos da Serra de Igarapé; ao Sul a região de Rio Manso e ao Norte a direção de Belo Horizonte. A Pedra Grande revela toda a sua beleza vista desde este mirante, em um perfil diferente daquele que normalmente vemos nas imagens captadas frontalmente. Juntamente com seu ombro sul, o conjunto nos dá a ideia de um leão deitado, com bocarra, nariz, orelhas... impressionante! Pude observar a gruta que existe no pé da pedra, na extremidade leste. Confesso que gostei tanto do visual desse ponto que fiquei muito tempo por lá!

Passagem apertada
Topo: pequeno, irregular e com alguns arbustos
Dado ao período no mirante houve tempo para que algumas pessoas (que devem ter pernoitado por lá) deixassem o cume, o que fizeram rapidamente. Eles deixaram a Pedra Grande e desceram por uma curta trilha que desce pela matinha no sentido da estrada de terra logo abaixo. Retomei a caminhada descendo e logo depois subindo a curta trilha que separa o mirante da rocha, chegando à base da Pedra Grande rapidamente. Não tem erro, a trilha é demarcada e segue pedra acima pelo seu lado sul, tendo alguns lances de trepa-pedras, escalaminhadinha básica e passagens estreitas ou sob pedras. Rapidamente atinjo o cume da Pedra Grande, por volta de 11h30 da manhã.

Vista Norte: Serra do Elefante em Mateus Leme
Vista Sul: BR 381 para São Paulo
Estava cansado e o sol estava ardendo, parei então para me hidratar e comer alguma coisa, pois estava faminto. Pouco tempo depois passei a explorar o cume da Pedra Grande, que é completamente irregular, formado por pedras soltas, pequena quantidade de terra e pequenas árvores e plantas. Possui alguns lugares para acampar, mas não são 100% planos. São mais práticos para bivaque. A extremidade leste é mais plana, porém muito exposta. Há alguns pontos mais baixos e mais interessantes, inclusive uma pequena toca. De todo modo, caminhar pelo topo da Pedra Grande é fácil, porém requer muita atenção, há inclusive alguns buracos e fendas. Há trilhas por todo o topo, que não é grande!

Lado leste: Serra Igarapé
Oeste: a mineração aos pés da Pedra Grande
O silêncio da montanha me conquista e o visual desde 360 desde o topo é muito bonito. No sentido leste observa-se a crista da Serra de Igarapé e a cidade lá embaixo; o Pico Três Irmãos em Brumadinho; a Serra do Rola Moça e Curral em Belo Horizonte e a Serra da Piedade, mais à nordeste. Ao Sul vê-se ao longe a Serra da Moeda e a região de Rio Manso com sua represa, além do vale por onde segue a BR 381, com sentido para São Paulo. À oeste o horizonte é belíssimo, porém a mineração que devasta a Serra de Itatiaiuçu impressiona e contrasta na paisagem; vê-se também a cidade de Itatiaiuçu. Ao norte é possível ver a represa do complexo Serra Azul e algumas cidades, como Mateus Leme com a simpática Serra do Elefante acima, além do vale repleto de sítios e fazendas.

Depois de duas horas no topo, onde o silêncio somente era interrompido ora por barulhos de motociclistas que faziam trilhas na região; ora por explosões na mineração próxima, iniciei a descida. Tive um momento de desatenção e como o topo é recortado por trilhas por todos os lados, acabei por perder a saída e dei de cara com um precipício.

Teto de "gruta" aos pés da Pedra Grande
Mirante visto de dentro da pequena toca aos pés da Pedra Grande
Voltei e achei a saída certa, fiz as passagens como na subida e rapidamente cheguei à Gruta que está próximo à base da pedra Grande. Entrei e explorei o interior, onde vi que há uma via de escalada por ali. O piso é inclinado (inviabilizando acampamento)e no teto há várias passagens de luz, que formavam um conjunto muito bonito, iluminando toda a gruta. Fiquei pouco tempo, saí da gruta e desci mais à oeste, onde constatei duas vias de escalada bem próximas. Retornei então trilha acima e tomei o sentido da volta, indo novamente em direção ao Mirante. Lá chegando fiz mais uma parada para contemplação e iniciei a descida pelo mesmo caminho da ida. Era por volta de 13h45.

Parede: há algumas vias de escalada por aí
A descida foi muito rápida e logo já estava na mata de eucaliptos, onde encontrei um comboio de jipeiros que iniciavam a subida pela péssima estradinha. Entrei na estradinha de terra e o sol continuava a castigar. Sombras não haviam e quando cheguei ao ponto de água nem pensei duas vezes: lavei a cabeça! Refrescado, continuei a caminhar, passei pelas fazendas cheias de gado e por volta de 15h15 cheguei à bifurcação com a BR 381. Perguntei para um morador local e este me indicou o ponto de ônibus na rodovia, não sem antes me alertar que ônibus ali demorava muito a passar.

Fui para o ponto do ônibus situado uns 400 metros em direção à Belo Horizonte e depois de uns 15 minutos veio o coletivo oriundo da cidade de Rio Manso, mesma linha que utilizei na ida. Que sorte! Embarquei e por volta de 16h45 cheguei ao bairro Cidade Industrial, em Contagem, onde desembarquei e logo depois tomei outro coletivo direto para casa na Pampulha, aonde cheguei são e salvo por volta de 18h00.

Foi sem dúvida uma pernadinha show de bola: a Pedra Grande é realmente muito linda e valeu a pena todo o suor nesta caminhada de 12 km (ida e volta) sob o sol forte!

►  Nota triste: 

Se não bastasse a atividade de mineração muito próxima à Pedra Grande, fiquei impressionado com a quantidade de lixo que vi no mirante e no topo da Pedra. Inclusive pixações, inúmeras, algumas bem antigas e em vários pontos do topo, na gruta e pela trilha. É lamentável e que em pleno século XXI as pessoas pensem que a natureza seja um depósito de lixo e abusos. Triste, muito triste! Inclusive daí a razão da palavra resistência no titulo desse tópico!


Serviço

Trilha de aproximadamente 12 km (ida e volta), com início e término na BR 381 Sul, na Curva da Ferradura, no município de Igarapé, região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Ponto culminante do município de Igarapé, a Pedra Grande possui 1400m de altitude aproximadamente. Bastante conhecida por escaladores por possuir várias vias de escalada, a Pedra Grande também é visitada por trekkers e nos seus arredores por motociclistas trilheiros. Do seu cume é possível avistar grande parte da região de Belo Horizonte.

Além dessa rota vindo do Norte, também é possível acessar a Pedra Grande pela Rota Sul

Como chegar - cidade referência: Belo Horizonte

De ônibus 

No centro de Belo Horizonte próximo à rodoviária tomar algum ônibus coletivo que vá para as cidades de Itaguara, Itatiaiuçu ou Rio Manso no sentido da BR 381 Sul (sentido para São Paulo). Outra opção é pegar o metrô no centro de Belo Horizonte e descer na Estação Eldorado, em Contagem. Lá descendo embarcar em algum dos coletivos citados acima. Inclusive na Estação Eldorado há mais partidas dos coletivos para estas cidades que em Belo Horizonte.

Já no ônibus (embarcado em Belo Horizonte ou na Estação Eldorado), peça ao motorista para descer na curva da Ferradura, após a cidade de Igarapé e aos pés da Serra de mesmo nome, na entrada das Chácaras Vivendas Santa Mônica.

Desembarcando, entrar à direita e caminhar, primeiro por um trecho de asfalto, depois um trecho maior pela estrada de terra. Ao chegar a uma pequena mata de eucaliptos entre à esquerda, subindo pela estradinha pedregosa e em zigue-zague morro acima. Aí não tem erro, nas eventuais bifurcações mantenha-se sempre na estrada mais batida. Você chegará primeiro ao mirante, de onde se vê a trilha que leva ao cume da Pedra Grande. A volta se dá pelo mesmo caminho. Da Curva da Ferradura à Pedra Grande são 6 km aproximadamente.

► Consulte linhas, tarifas e trajetos de ônibus metropolitano no site do DER - MG 

De carro

Foto mostra até onde se dá pra ir de carro.
A estrada logo abaixo da Pedra Grande, e um trecho de trilha subindo
Tomar a BR 381 sentido São Paulo. Após passar a cidade de Igarapé, aos pés da Serra de Igarapé, na Curva da Ferradura (entrada das Chácaras Vivendas Santa Mônica) entrar à direita, seguindo primeiro pelo trecho asfaltado, depois pela estrada de terra (como no trecho a pé).
Ao chegar à mata de eucaliptos, ao invés de subir por entre as árvores, siga (permaneça) pela estrada de terra. Vá observando sempre à sua esquerda.
Quando vir a Pedra Grande bem próxima e por completo, através de um vale, deixe o carro na estrada e suba pela trilha acima à esquerda (a trilha é praticamente uma via reta e muito bem demarcada), que passará por uma matinha rala.
Após cerca de 1,5 km de caminhada e você já estará na Pedra Grande. 

Considerações finais

► Há outros caminhos que levam à Pedra Grande, como a Rota Sul. Leia o relato.

► Se for fazer um bate e volta leve apenas mochila de ataque, com pequeno lanche e 1 litro de água, que é o suficiente. Não há água a partir da estrada principal, portanto abasteça antes!

► Como é do conhecimento de todos, água na beira de estrada deve-se sempre utilizar purificador antes do consumo! Isto pode salvar a sua trilha!

► Não esqueça do protetor solar, há pouca sombra pelo trajeto; a partir da subida somente arbustos.

► Confira algumas Dicas Básicas para a prática de atividades outdoor

► Pratique a atividade aplicando os Princípios de Mínimo Impacto


Importante - Informe julho 2017:

Em princípio do mês de julho de 2017 recebemos um relato de um casal residente na cidade de Betim nos informando que; visitando a Pedra Grande de Igarapé pelo acesso Norte, em julho de 2017; estando na trilha pouco acima da estrada ouviram barulhos de vidros sendo quebrados. O marido foi em direção ao veículo estacionado e foi recebido por marginais armados. O casal conseguiu correr de volta a trilha e se escondeu, enquanto os bandidos gritavam a sua procura. Posteriormente, os marginais fugiram do lugar. Ela sofreu escoriações e torções enquanto corria para se esconder. Felizmente fato mais grave não ocorreu; porém foi um grande e perigoso susto; informou o casal!
Portanto, informamos aos aventureiros que ao visitar a Pedra Grande de Igarapé estejam atentos. Evitem visitas solo; ou em poucas pessoas; ou mesmo pernoite no lugar. Prefira ir em grupos maiores e se possível, entre em contato com autoridades locais informando da atividade. Nosso objetivo não é provocar alarde; mas sim informar; uma vez que, concretamente este é o primeiro e até então único relato dessa natureza que temos notícia na Pedra Grande de Igarapé. Como sabemos, infelizmente casos dessa natureza não são raros em trilhas muito próximas a centros urbanos. Assim, visitando locais com essas características esteja sempre alerta!

Bons ventos a todos!
Última Atualização: Jul 2017

Navegação Manual

FAQ