Pular para o conteúdo principal

Cachoeira do Lajeado: mais uma belezura de Lapinha da Serra!

Cachoeira do Lajeado: linda, porém com pouca água
O arraial de Lapinha da Serra localizado no município de Santana do Riacho é daqueles lugares típicos do interior mineiro. Distante aproximadamente 12 km da sede municipal, o arraial ainda guarda muito de simplicidade, apesar do boom imobiliário e turístico que vive nos últimos tempos.

Como o próprio nome sugere, a localidade está encravada em plena Serra do Espinhaço, mais precisamente em um primeiro platô da cadeia, a aproximadamente 1.200m de altitude. Esta localização faz com que os arredores do arraial concentre vários atrativos naturais, especialmente cachoeiras e poços propícios para banho. Dentre esses atrativos, um que merece visita é a Cachoeira do Lajeado. Estivemos por lá recentemente juntamente aos amigos do Nice Trekking!

Deixamos BH em torno de 6h00 da manhã e em viagem tranquila e ignorarmos o cotovelo que leva à Cachoeira do Bicame e Poço do Soberbo, por volta de 9h00 já estávamos na Lapinha da Serra. Nosso objetivo naquele dia era visitar a Lajeado. Após identificarmos o nosso ponto de encontro da volta, o Restaurante Sempre Viva, partimos imediatamente para a Cachoeira. Seguimos no sentido da Lagoa da Lapinha, o mesmo trajeto inicial da Travessia Lapinha a Tabuleiro. Pelo caminho, notamos o quanto o arraial estava lotado naquele feriado. Havia gente por todo lado!!!

A Lagoa da Lapinha
Cruzamos a ponte da lagoa e entramos à direita em suas margens. Nossa direção era a sudeste do arraial. A trilha muito bem marcada segue praticamente plana margeando essa primeira parte da Lagoa. Após aproximadamente 2 km de caminhada cruzamos o primeiro córrego importante, que na verdade estava com pouca água. Prosseguimos margeando o Ribeirão Mata Capim sempre no sentido sudeste. A trilha segue bem marcada e em alguns trechos parece até uma estradinha.

Visual sul em direção à Lajeado. É possível ver a trilha pós ribeirão. A Cachu fica à esquerda, naqueles paredões
Entre pequenos aclives e declives, a caminhada rende e logo cruzamos outra água, cerca de 1,5 km após a primeira. Prosseguimos sem problemas e ao se aproximar do km 5 passamos por uma residência simples, com morador. Alguns cavalos estavam no quintal, e certamente são os "cavalos de aluguel", muito usados na região. Logo abaixo da residência, cruzamos o maior córrego da caminhada, pulando pedras. As águas desse ribeirão são as mesmas da Cachoeira do Lajeado e são afluentes do Ribeirão Mata Capim, que até então foi nosso companheiro à nossa direita.

Mata Capim
Ao cruzar esse afluente do Mata Capim, realmente se entra no trecho em que há trilha propriamente dita, com cascalho e pedras. São cerca de 600 a 800 metros aproximadamente. Há uma leve subida, depois uma descida e outra subida, de onde já se vê a Cachoeira do Lajeado em sua totalidade. Muito bonita! Sem dificuldades, rapidamente chegamos à Cachoeira. Era por volta de 11h30 da manhã.

Lajeado e seu poço
A Cachoeira do Lajeado é um conjunto de quedas não contínuas, que desce por um lajeado irregular, formando um conjunto muito bonito. Possui um belo poço para banho, com profundidade rasa a mediana, que permite horas de diversão. Infelizmente, devido às poucas chuvas neste verão, a Cachoeira estava com bem menos volume de água que o normal para o período. Já a vi bem mais cheia... Mas mesmo assim, não estava menos bela... 

Esperávamos que até tivesse mais gente na cachoeira, pois a Lapinha estava cheia de visitantes. Surpreendentemente havia poucas pessoas por lá. Com isso, foi possível curtir bastante o lugar. O tempo estava parcialmente nublado, ideal para curtição mesmo!

Vista nordeste, em direção ao Arraial da Lapina. É possível ver o Pico do Cruzeiro
Beirando às 15h00 deixamos a cachoeira para trás e em cerca de 1h30 de caminhada tranquila já estávamos de volta ao arraial da Lapinha, aonde almoçamos no Sempre Viva. Aliás, o almoço estava delicioso! Fizemos uma horinha de ócio pelo agitado arraial; e logo após retornamos à Belo Horizonte, aonde chegamos por volta de 20h00. Foi um bate e volta perfeito: belo lugar e animadas companhias! 

Serviço

Poço da Lajeado
Localizada a aproximadamente 6 km do arraial de Lapinha da Serra, município de Santana do Riacho, a Cachoeira do Lajeado, como o próprio nome já indica, despenca sobre um lajeado de pedras de aproximadamente 80 metros, e não é uma queda livre. Nesse despencar, a Cachoeira torna-se diferente do habitual, tornando-a muito bela. Seu poço possui boa profundidade e tamanho, possibilitando um banho refrescante. Em um ponto, pelo menos, é possível ficar em pedras e embaixo de uma queda final. Suas nascentes principais estão ao sul do Pico do Breu; e seu curso é cruzado na rota da Travessia Lapinha a Tabuleiro Tradicional; altura da cerca de pedras.

Rota no GE
A trilha de acesso é simples e fácil. Até o km 5 aproximadamente e próximo à uma casa simples de um morador local a trilha é praticamente uma estradinha. Após essa casinha, cruza-se um ribeirão e o trecho é verdadeiramente uma trilha, tornando-se irregular e com muitas pedras. Porém, não apresenta dificuldades. Os arredores da cachoeira é formado por matas de galerias e fica encrustada em um vale aos pés do paredão da queda. É um lugar muito bonito e devido à distância, um pouco menos visitada que suas irmãs grudadas ao arraial.

Distâncias

BH a Santana do Riacho: aproximadamente 120 km
Santana do Riacho à Lapinha da Serra: aproximadamente 12 km por estrada de chão
Lapinha à Cachoeira do Lajeado: aproximadamente 12 km (ida e volta)

Como chegar e voltar - de ônibus
Cidade referência: Belo Horizonte

Ida e Volta: Viação Saritur até Santana do Riacho. De Santana do Riacho à Lapinha não há linha regular de ônibus, necessitando então a locação de táxi, van ou ir à pé. Daí em diante, seguir a pé até a cachoeira. Ida e volta são feitos pelo mesmo trajeto.

► Confira horários e frequências no site da empresa de ônibus

Como chegar e voltar - de carro
Cidade referência: Belo Horizonte

Ida e volta: Rodovia MG 10 até Distrito da Serra do Cipó → Acesso à Santana do Riacho → Em Santana do Riacho seguir pela estrada de chão batido até o arraial de Lapinha da Serra → Seguir a pé até a cachoeira. Ida e volta são feitos pelo mesmo trajeto.

Considerações Finais

Intenso colorido na trilha da Lajeado
► Mesmo em dias lotados na Lapinha da Serra, a Cachoeira do Lajeado permanece um pouco mais vazia; pois fica um pouco afastada do arraial.

► De Belo Horizonte à Lapinha são aproximadamente 2h30 a 3h00 de viagem! Então, para bate e volta, é fundamental que saia cedo de BH. 

► Lapinha é um arraial e possui boa infraestrutura em pousadas. Possui também restaurantes, bares e mercearia. Mas é um comércio básico. E fique atento a preços: enquanto almoçar é relativamente barato, outros itens de bar e mercearia são bem mais caros que aqueles encontrados em cidades maiores.

► Ha camping no Arraial. O Bromélias é aquele de melhor estrutura.

► Não há sinal de celular no arraial.

► Confira algumas Dicas Básicas de Segurança para a prática de Atividades Outdoor

► Pratique a atividade aplicando os Princípios de Mínimo Impacto

Bons ventos a todos!

Mais Trekking Pra Você...

Cachoeira de Congonhas: um complexo belíssimo do ParnaCipó!

O Parque Nacional da Serra do Cipó é grandioso sob todos os aspectos. Localizado a aproximadamente 100 km ao norte de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais, conta com atrativos naturais espalhados por toda a sua área. Inúmeras espécies vegetais e animais integram um ambiente extraordinariamente harmonioso e belo, cujos afloramentos rochosos fazem a mente do aventureiro viajar.

Rico em recursos hídricos, em sua parte alta e oriental, nas proximidades da rodovia MG 10, está localizada a Cachoeira de Congonhas, uma joia do ParnaCipó. Formada pelas águas do Ribeirão Congonhas, consiste em 3 principais quedas d'água, que despencam em direção ao vale da Bocaina, parte baixa do ParnaCipó. Foi nesse lugar espetacular que estivemos no último dia 12 de abril.
Rota realizada e disponibilizada no Wikiloc(incluída em Mar 2016) Além de possibilitar estudar e visualizar a região, você poderá baixar este tracklog (necessário se cadastrar no Wikiloc); e inclusive utilizá-lo no seu GPS ou smartphon…

Alimentação: o que levar para as trilhas

A alimentação em trilhas é um aspecto que preocupa a muitos, especialmente os iniciantes na prática de hiking ou trekking. E é uma preocupação pertinente, pois naturalmente ninguém quer passar fome enquanto se caminha; em especial se estiver em ambientes mais distantes e isolados.

Além disso, somos resultados do que comemos, já diz a velha máxima! Entretanto, a preocupação e dúvida sobre o que levar muitas vezes faz com que o caminhante se abasteça de alimentos nem sempre adequados a uma aventura; ou ainda, exagere na sua quantidade; comprometendo seriamente o êxito de uma aventura!
O pulo do gato para minimizar possíveis problemas é não fugir abruptamente do seu hábito alimentar cotidiano, que suponho, seja saudável. Normalmente, nosso organismo já é adaptado aos alimentos que costumeiramente ingerimos, de modo que, mantendo os hábitos, dificilmente teremos complicações.

Igualmente não se preocupe em abarrotar sua mochila com grandes quantidades de alimentos. Quando caminhamos, norm…

Complexo do Viana em Rio Acima: as maiores cachoeiras nos arredores de BH!

A região localizada a leste-sudeste de Belo Horizonte é rica em atrativos naturais. É a tão falada região da Serra do Gandarela, cujos limites ampliados vão da encosta leste da Capital até os limites do Caraça, em Santa Bárbara no sentido oeste-leste; e desde Itabirito até Caeté no sentido sul-norte.

É recoberta por vegetação de transição, mesclando mata atlântica, cerrado e campos de altitude. Seu relevo é movimentado, como é comum nas Minas Gerais, possuindo as maiores porções de cangas do Brasil. Ao mesmo tempo, guarda em seu subsolo imensas reservas de água e minerais, em especial o minério de ferro...
Diante de tamanha riqueza, a região é objeto de acirradas discussões, cobiças e desentendimentos entre mineradoras, ambientalistas e governos. Isto culminou com a criação do Parque Nacional da Serra do Gandarela, que infelizmente não colocou um fim às pendengas, que prometem novas e grandes quebras de braços. Alheio à essas cansativas e muitas vezes rígidas posições das partes inte…

Ponta da Joatinga: a Travessia que une paixões!

Localizada no município de Parati, litoral Sul do Estado do Rio de Janeiro, a Ponta da Juatinga é uma península conhecida pela sua expressiva beleza natural. Região habitada pelos descendentes Caiçaras, caracteriza-se por vegetação de mata atlântica, relevo acidentado e clima quente e úmido; além de inúmeras praias em sua maioria desertas. A importância e beleza da região são tão expressivas que a península está protegida pela Área de Proteção Ambiental do Cairuçu e a pela Reserva Ecológica da Juatinga, limitando-se com áreas do Parque Nacional da Serra da Bocaina...
Atualização Fev 2016 Rota realizada e disponibilizada no Wikiloc Além de possibilitar estudar e visualizar a região, você poderá baixar este tracklog (necessário se cadastrar no Wikiloc); e inclusive utilizá-lo no seu GPS ou smartphone (necessário instalar aplicativo). Recomendamos que utilize esta rota como fonte complementar dos seus estudos. Procure sempre levar consigo croquis, mapas, bússola e outras anotações que poss…

Cachoeiras em Itambé do Mato Dentro: um descanso merecido!

Itambé do Mato Dentro é um pequeno município de aproximadamente 2.500 habitantes, localizado à nordeste da Capital Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais. Encrustado na Serra do Espinhaço e à margem leste do Parque Nacional da Serra do Cipó, abriga em seu território recortes de belezas naturais marcantes.

Ao contrário que imaginamos, Itambé vai muito além do famoso e conhecido Distrito de Cabeça de Boi, oferecendo ao aventureiro outras possibilidades, especialmente cachoeiras. Foi para conhecer e desfrutar de alguns desses atrativos que nos mandamos pra Itambé no feriado do dia da Pátria. A missão era visitar as cachoeiras da Serenata, Vitória, Funil e Lúcio, um final de semana dedicado à curtição mais sossegada...
Rota realizada e disponibilizada no Wikiloc Além de possibilitar estudar e visualizar a região, você poderá baixar este tracklog (necessário se cadastrar no Wikiloc); e inclusive utilizá-lo no seu GPS ou smartphone (necessário instalar aplicativo). Recomendamos que utilize e…